Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

Um Cadáver ouve rádio - Parte 7

Um chinês tocador de sanfona? Yuri encontrou o primo folheando os jornais do dia, nervosamente. - Como eu imaginava! Apenas algumas linhas sobre o assassinato de Boa-Vida. Se fosse rico o caso mereceria meia página... - Melhor assim - replicou Yuri. - Não assustará o criminoso. Nina entrou na sala com um espanador. - Foram ao cemitério, Yuri?  - Voltamos agora. Como enterro de indigente até que não foi mau. Havia um padre e algumas pessoas do bairro. Mamãe levou flores. - Não pude ir - lamentou a tia. - Mas orei por ele. Yuri passou a Francisco o cartão de Dalyana. - Havia uma pessoa desconhecida para nós no enterro. Já ouviu falar dela?  Nina também foi ler o cartão. Não sabiam quem era Dalyana. - Alguma amiga de Boa-Vida? - Vocês não adivinhariam nem amanhã - disse Yuri, dono do seu mistério. - Tem o nome dele, Souza - observou Francisco. -  Só pode ser parente. Sabendo do espanto que ia causar, Yuri sorriu. - Mulher de Alexandre. Boa-Vida era casado embora vivesse separado da mulher. Jamais terí…

E ai? Alguém quer?

Desisto disso, daquilo e do próximo. Desisto de tentar me entender, de entender meus sentimentos, minhas fragilidades…Minhas coisas. Posso entender o mundo inteiro, mas, sinceramente? Preciso de alguém que me entenda, de corpo e alma, que me conheça tanto, que só com um olhar ou expressão já saiba como estou. Sério. Cansei de mim. Alguém quer pra si? To me dando pra quem quiser, porque, eu não me quero.

Natal e sua hipocrisia.

Eu andei pensando sobre o natal….
Sinceramente é uma época que nunca me agradou. nem mesmo quando criança. Mesmo que quando criança, eu achasse interessante as luzes, as pessoas, as roupas e como tudo mudava apenas e somente naquela época,  eu não gostava, só achava interessante. Em pouco tempo natal, se tornou simbolo de hipocrisia pra mim, afinal,  eu nunca vi o porque de somente no natal você querer fazer coisas boas,  querer ser amigável, ser hipocritamente bom. Com o tempo pra mim o natal desbotou, perdeu todo brilho e o charme fugaz, se tornou simplesmente uma celebração mesquinha que simboliza o consumismo;E nem me venham com a historia cristã.  Nenhum de vocês realmente pensa nisso quando lembram da palavra “natal”. A maioria vai lembrar da ceia de natal, dos parentes chatos, dos amigos secretos, da família e principalmente dos presentes. Em pouquíssimo tempo o natal se tornou uma data consumista e hipócrita, que só me traz dores de cabeça, confusões e desgostos. E querem saber…

Inimigos Amantes

Ventos frios o cercam na alto da colina, ele põe a mão no cabo de sua espada, olha para os 40 mil soldados sobre o estandarte branco dos Stark atrás de si, seus guerreiros, seus irmãos de armas. E a sua frente os 50 mil homens sob o estandarte carmesim dos Lannister, seus inimigos, comandados por uma mulher misteriosa, uma Lannister desconhecida. De seu garanhão cinza ele olha para o lobo gigante ao seu lado, negro como a noite mais tenebrosa e de olhos mais vermelhos e quentes que o próprio fogo.
   Yuri, Rei do Norte, ouve a trompa de guerra soando do lado Lannister, então dá o sinal ao seus homens indicando que a batalha começou, e erguendo Gelo, sua espada, solta o grito de guerra:
  - Por Winterfell!!!!!
  As duas tropas avançam uma sobre a outra, e ao se encontrarem inicia-se uma batalha sangrenta.Yuri avança junto ao seu lobo, Sombra avança ferozmente arrancando a cabeça de homens e cavalos com uma única mordida, e em movimento mais rápidos que um piscar de olhos. Em meio a b…

Um cadáver ouve rádio - Parte 6

No enterro alguém chora por todos Rafael alugou um táxi e com dona Juliana e Leo foram para o distante cemitério onde, por conta da Prefeitura, Alexandre de Souza, o Boa-Vida, seria enterrado como indigente. Levavam flores e algum dinheiro para gratificar os coveiros. Ao contrário do que esperavam, outras pessoas estavam presentes no sepultamento: o dono de um bar, um garçom de restaurante, madame Santa, Dona Maria, para quem às vezes Boa-Vida entregava vestidos, o porteiro de um dos teatros do Bexiga e dois pedreiros.
Um Padre, provavelmente conhecido de madame Santa, iniciou uma oração fúnebre, logo perturbada pelo choro convulsivo e inesperado de uma mulher, vestida de preto, a última a chegar.
- Quem é ela? - perguntou Rafael à dona Juliana.
- Não sei.
- Parece pessoa da família.
- Ele nunca disse que tinha parentes - lembrou dona Juliana, tentando prestar atenção às palavras do padre.
A mulher, conservando-se um pouco afastada, com a cabeça curvada sobre o peito, apertava nos olhos um l…

Bagunça

Tic tac tic tac
Espanto; confusão; desordem geral.
Esses são os nomes dos sentimentos que estão te rodeando
nesse momento.
 Afinal,descobertas inesperadas,
decisões ainda não tomadas...
Uma baderna sem tamanho!
E chega a ser frustante,
afinal é costume ter controle sobre tudo.
Mas, e ai? O que vais fazer? Está pronta(o)? Já tomou sua decisão?
Tic tac tic tac
Sim ou Não?!
Vais voltar ou seguir?
Ficar ou ir? Contar ou guardar?
Pensar sobre isso ou esquecer?
Tic Tac tic tac
Hein?
Então?
Alguma ideia se é amor ou não?
Talvez uma simples paixão?
Está encrencada(o) ou não?
Pensar muito nisso
Te deixa sem ação?
Te deixa Sem chão?
Sim ou não?!
Tic tac tic tac
Já se decidiu?
Sim ou não?
GAME OVER.

Um falso amor

Sinto-me como se fosse apenas um pequeno e indefeso ser, que está sozinho há muito tempo, e que por conta de vários acasos desacredita nesse tal de “amor”.  Você me veio como um anjo, cheio de graça e com toda simpatia, era sempre muitíssimo carinhoso, companheiro, enfim, parecia-me perfeito. Mostrou-me como o mundo podia ser belo, como todos eram felizes e alegres... Mas, então veio a discórdia, e junto com ela as brigas, as incertezas, a falta de confiança, tudo estava sendo tão cansativo, mas, eu tentei, eu juro que tentei, dei o meu melhor para que tudo voltasse a ser como era antes. Mas, você foi embora, assim como todos os outros fizeram, nem se quer deu-me uma explicação, e junto consigo, levou minha paz, minha sanidade, e agora? Dei-te todo o meu amor, mas, você não quis cuidar... Descobri você tinha achado alguém melhor. Você foi embora, e agora, resta-me apenas a lástima, por um dia ter-te amado tanto assim.

Filme de Terror

Você se sente tão sozinho
largado nesta imensidão
Sente um vazio grande
neste mundo sem razão.
É uma guerra
um filme de terror
uma grande conspiração

Ninguem ouvirá teu sussurro
ninguem ouvirá teu clamor
Você está preso neste mundo
você está preso neste filme de terror

Você se sente solitário
perdido no mar da dor
escondido no recanto do rancor
Você e esse teu jeito ilário
de achar que tudo de mal acabou.

Ninguem ouvirá teu sussurro
ninguem ouvirá teu clamor
Você está preso neste mundo
você está preso neste filme de terror

Maquiagem

Você é secador de cabelos...
Sopra em mim sentimentos
já conhecido pelos poetas

Você é alisador...
Aquece meus sonhos,
desencaracola minha poesia

Sou base, pó compacto,
rímel e Blush, enfim.
Maqueio a tristeza em mim
por estar longe de tí.

Tem certos momentos na vida...

Tem certos momentos na vida, Que precisamos escolher um novo caminho a seguir, Nem sempre é o caminho mais fácil, e nos perguntamos; por que escolhemos? Podemos tirar disso uma lição, ao vivenciamos momentos bons e ruins. Porque ser feliz todo tempo é impossível, mas buscar a felicidade pode ser feito em qualquer parte do caminho que escolhemos. Tem certos momentos que só queremos alguém que nos acompanhe em nosso caminho, e quando precisamos caminhar sozinho nos desesperamos, mas com a esperança que está logo ali em alguma curva, vai aparecer alguém que nos faça companhia. Em um novo caminho podemos escrever uma nova historia!

Dizem que o tempo cura tudo...

Dizem que o tempo cura tudo... Talvez seja verdade, talvez não... Há feridas que ficam abertas por um tempo indeterminado. Não param de sangrar, estão sempre em nós, presentes, lembrando que no meio do caminho algo saiu errado. Que em nossa trajetória, em algum momento, foi tirado de nós o direito de sermos felizes...