Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

No momento

No momento...
não há sentimentos
não há razão nem emoção
acabou a melancolia
acabou o dia...


No momento...
está escuro o que era reluzente
o olhar fixa apenas o horizonte


No momento...
Não há espera
não há partida
não há memórias
não há vida

Olhos Vermelhos

Bate com mais força, Querendo me rasgar o peito, Bate com mais força,  Sou fúria por inteiro.
Rubros ficam meus olhos, Meu corpo começa a tremer, Ah o estrago que quero fazer.
Por favor não me provoque, Por favor me provoque. Não me faça soltar o que tenho aqui dentro Me faça soltar o que tenho aqui dentro
Sou fúria, sou poder, Sou ira, vá se esconder.

MEDO

Medo é um guri num buraco escuro quando puxa. Guarda o assombro, caveiras e uma risada de bruxa. Diz que vive vagando no vulgo roxo de mortalha, a cabeça decepada na mágoa duma navalha.


MEDO
Não raras vezes sinto medo... Medo de sentir e querer gritar. Medo de olhar mais além. Medo de cair e não poder me levantar. Medo das marés que o mar da vida tem.
Não raras vezes sinto medo... Não de morrer, mas de viver. Medo de trocar o Ter pelo Ser. Medo de esquecer  que tenho asas nos pés e que no entanto... Sou frágil como outonais folhas. Sinto medo de esquecer  que tudo depende das minhas escolhas...
O medo intimida. Paralisa. Mata inocentes. Desenterra o passado. Revira mundos e fundos. Dá vida a defuntos. Faz o olho esbugalhado. Faz correr adrenalina no coração aterrorizado. Faz trocar a mentira pela verdade e a verdade pela mentira. Substitui o certo pelo errado. Tira a liberdade. Afugenta a amizade. Aniquila o amor. Provoca dor. Dor. Dor. Dor. E mais d o    r...

Virtudes e Indecências - Parte 17

Virtudes e Indecências - Parte 16