Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

prisão

ruínas e ruínas
Eterno desconcerto
caveiras e cavernas
apertos e cabrestos

escravo mal amado
rumo à segregação
acabado e acalmado
boca fechada e sem razão.

Novamente

No ato eu afino
acompanho e desalinho
arrepio ao olhar pra trás

caindo de desilusão novamente
após lamber a ferida novamente
vomitar e comer o mesmo lamento novamente

Amor sem clichês!

Falar de Amor? Será que é fácil? Acho que só sentindo mesmo... Mas, será que alguém sabe falar de Amor sem senti-lo?
O que dizem: É quando o coração bate mais forte e descompassado por alguém, Quando sente um arrepio e forte calafrio,  Com um enorme medo de perdê-lo, Nunca se sabe quando acaba, nem quando começa. Afinal, pro amor não há rótulos. Apenas sente-se sem saber o porquê. E o coração vezes & vezes discute com a mente, Razão vs. Emoção, O Amor é algo inexplicável, Que é como é. Só sentindo mesmo...
P.S: Vai amar e me conta?


Por que, Sr. Tempo?

- Por que?
Porque o tempo passa assim, tão rápido?
Levando todas as coisas boas embora?
Levando as lembranças, as emoções, os sentimentos?
Como se não fossem nada, nada mais que nada?
Por que ele é o vilão, e não o mocinho?
Por que as paixões que vivi e já não doíam tanto quanto essas se foram? 
Por que sofremos? 
Por que temos que crescer? 
O tempo é o grande vilão da estória, é ele que nos faz sofrer e sentir dor na essência da vida, no coração, na alma...

- Por que é ele que também cura,
Ele é o grande vilão e o grande herói, de todas e todas as estórias.
Sem ele não éramos nada,
Não existiríamos, ele não teria passado e não teríamos nascido. 
Sem ele, as dores seriam eternas, não haveria cura para elas. 
As cicatrizes não se fechariam.
Não haveriam momentos felizes perante os maus momentos.

- Odeio o tempo! Mas, ao mesmo o tempo o amo. - dizem em uníssono.