Noite adentro (ou Samba da madrugada)

Antes, umas palavras do autor:

Esses tempos, os meus textos tem saído na madrugada. quando já estou deitado para dormir. Nessas horas, simplesmente pego o celular, abro o aplicativo de notas e começo a rascunhar o que me vem a cabeça, e se o sono não for muito, já procuro deixar o texto em sua versão final. Os versos a seguir, apesar de formar um poema curto, levou bastante tempo para ser feito, sendo que uma das maiores dificuldades foi dar nome. Acabei dando dois, é o primeiro text meu a conseguir isso. O primeiro e principal, "Noite a dentro", eu dei por que toda vez que leio esse poema, imagino que aconteça numa madrugada, noite a dentro. O segundo nome, "Samba da madrugada", também tem relação com a leitura dos versos, que sempre faço em ritmo de samba. E justamente o segundo nome desse poema me dá sensação de que em uma madrugada qualquer eu volto a ele e termino esse samba...

Aproveitem.

Noite adentro
(ou Samba da madrugada)



Deixa eu,
Com meus pensamentos e emoções,
Com os meus escritos e meus borrões,
Por no papel palavras tão sentidas...








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jogo de politica

Doses de poesia

Palavra Solta - preciso de palavra sem voz